SP estuda parceria público-privada em presídio

Portal Terra

SÃO PAULO - O governo do Estado de São Paulo tem dois estudos para definir um modelo de contrato para a construção de presídios em parceria com a iniciativa privada. Um deles deve ser apresentado pelo Gestor de Parcerias Público-Privadas (PPP) e o outro, pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). A informação é do jornal O Estado de S. Paulo.

O secretário de Administração Penitenciária, Antônio Ferreira Pinto, afirmou que o modelo de parceria desenvolvido em Minas Gerais pode servir de modelo para o Estado. Minas e Pernambuco desenvolvem as duas primeiras PPPs do País na área penitenciária.

- Acho válido fazer essa experiência na construção e na gestão de presídios com a iniciativa privada. Caso funcione, como ocorreu no Reino Unido, o modelo pode servir como referência para o setor público - disse Pinto.

De acordo com o coronel José Vicente, consultor da Fiesp, o custo de um presídio é de aproximadamente R$ 40 mil para cada detento. Com base neste cálculo, uma penitenciária para mil presos custaria R$ 40 milhões. - A iniciativa privada pode entrar na parceria para suprir a dificuldade que o Estado tem para fazer investimentos - afirmou.