Ciro Gomes pede cadeia para culpados por grampos

Portal Terra

RECIFE - O deputado federal Ciro Gomes (PSB) esteve em Fortaleza na noite desta quinta-feira e participou de comício da sua ex-mulher, Patrícia Saboya (PDT), que disputa o cargo de prefeita da capital cearense. Na oportunidade, o parlamentar comentou o caso dos grampos telefônicos supostamente instalados pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) no Congresso Nacional. Ciro disse que punições severas devem ser aplicadas aos responsáveis pelo escândalo, que ele classificou como 'segredos de polichinelo'. Quando questionado sobre a que tipo de punições se referia, ele respondeu: - Cadeia! Cadeia pesada, porque é só você olhar nos classificados dos jornais que encontra esses serviços de grampolândia.

Ele também disse não acreditar no envolvimento do diretor-adjunto da Abin, José Paulo Lacerda, nas ordens de execução da realização dos grampos. - Conheço o Paulo e tenho nele uma pessoa exemplar. Às vezes, a gente se engana, mas não acho que seja esse o caso. Acredito que ele é inocente, mas acho que a providência de se afastar foi boa - complementou.

Em seguida, o deputado admitiu a possibilidade de compor uma chapa para a Presidência nas eleições de 2010 e destacou que passou 12 anos sem mandato e só agora ocupa cadeira na Câmara Federal.

Possível expulsão

Sobre o anúncio feito semana passada pelo presidente do diretório municipal do PSB de Fortaleza, vereador Rogério Pinheiro, de que a sua expulsão seria pedida logo após o pleito desse ano sob a justificativa de infidelidade partidária, Ciro se limitou a poucas palavras. Ele afirmou: 'paciência. Tem que agüentar as conseqüências'.

A decisão de excluir o deputado dos quadros do partido foi divulgada depois que Ciro gravou um vídeocom a ajuda do filho Cirinho e publicou-o na Internet classificando a gestão da prefeita e candidata à reeleição, Luizianne Lins (PT), de 'fuleiragem pura e simples'.

No material, ele também dizia que a petista era uma 'coronelzinha de saia' por querer proibir Patrícia Saboya de utilizar a imagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva nos seus programas eleitorais de TV.

A solicitação foi feita à Justiça pela assessoria jurídica de Lins e impediu a pedetista de exibir fotos pessoais ao lado do ex-marido e do ex-cunhado, o hoje governador do Ceará, Cid Gomes, que apóia Luizianne.