Lula reafirma que educação não pode ser vista como gasto

Agência Brasil

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reafirmou nesta quarta-feira que a educação não pode ser vista como gasto. - Educação tem que ser vista como investimento e um investimento que possa dar retorno no espaço mais curto de tempo que o investimento traz - afirmou o presidente na cerimônia no Palácio do Planalto para o anúncio de criação de vagas para alunos em universidades federais dentro do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni).

O presidente criticou os que pensam que o mercado de ensino poderia resolver a questão da falta de vagas nas universidades. Para Lula é possível encontrar um equilíbrio entre o ensino privado e o público.

- Acredito que o estado brasileiro pode fazer o equilíbrio entre o ensino que pode ser visto de maneira mercantilista e o ensino que pode ser visto para transformar esse país em um Estado muito forte, competente e competitivo em todas as áreas - afirmou.

Lula disse que o acesso à educação não pode ser visto como ascensão social. De acordo com o presidente, é obrigação do Estado garantir a oportunidade de ensino a todos os brasileiros.

O presidente também voltou a dizer que o dinheiro que será arrecadado com a extração do óleo da camada do pré-sal será usado na educação, e criticou aqueles que dizem que mesmo sem começar a extração, "o governo já está discutindo onde vai aplicar os recursos".

- Sabe porque eu quero discutir logo para onde vai o dinheiro? É porque se a gente não discute, os mesmos de sempre, que sempre ganharam tudo, vão querer se apoderar desse dinheiro antes dele chegar a para as finalidade nobres que nós queremos nesse país - afirmou.