Bombeiros dizem que estudantes perdidos serão localizados em breve

Agência Brasil

MANAUS - O comandante do Corpo de Bombeiros do Amazonas, coronel Antônio Dias, disse nesta quinta que, apesar das dificuldades de circulação na Reserva Florestal Adolpho Ducke, os quatro estudantes do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) que estão perdidos no local deverão ser localizados em breve.

A reserva, com 10 mil hectares de extensão, é administrada pelo Inpa e está situada no Km 26 da estrada AM-010, que liga Manaus a Itacoatiara, e é considerada perímetro urbano.

Ducke explicou que o local é de mata fechada, o que dificulta a locomoção, mas que a área é toda mapeada.

- As equipes estão munidas com GPS [Sistema de Posicionamento Global} e mapas do local que, sem dúvida, os levarão a encontrar os desaparecidos, afirmou.

As buscas foram encerradas, às 19h, desta quinta, devido à escuridão no local, e serão retomadas sexta-feira, pela manhã.

De acordo com a direção do instituto, os quatro estudantes, que fazem mestrado no Inpa, chegaram à reserva por volta das das 9h de quarta, para realizar um trabalho de campo (que consistia na coleta de insetos aquáticos) e desde então não foram mais vistos. Uma equipe composta por 16 homens do Corpo de Bombeiros do Amazonas, 13 militares do Exército e guias do próprio instituto trabalha na busca dos estudantes. Eles são Paulo Vilela Cruz, de 23 anos, de Rondônia, André Silva Fernandes, de 22 anos, de Goiás, Galileu Petronildo Silva Dantas, de 26 anos, do Rio Grande do Norte, e Ricardo Scherer, de 26 anos, o Rio Grande do Sul.

Não era a primeira visita dos estudantes à reserva. Segundo a assessoria de Comunicação do Inpa, no início do curso de mestrado, eles participaram de um curso básico sobre sobrevivência na selva, ministrado por uma equipe do Exército. Três dos estudantes iniciaram o curso neste ano e apenas um em 2007.