Líderes tentam acordo sobre votações da Câmara

Agência Câmara

BRASÍLIA - Os líderes partidários reúnem-se nesta terça-feira para tentar um acordo relativo às matérias que poderão ser votadas nas semanas que antecedem o recesso parlamentar e no esforço concentrado do segundo semestre. Por conta das eleições municipais de outubro, haverá votações em plenário nas três últimas semanas de agosto e na primeira semana de setembro.

A base governista já apresentou sua lista de prioridades, que inclui, entre outras propostas, a reforma tributária, a mudança no rito de tramitação das medidas provisórias, o projeto que reserva metade das vagas nas universidades federais para alunos de escolas públicas e o projeto que aumenta para seis meses a licença-maternidade.

As matérias, no entanto, são polêmicas e ainda precisam ser negociadas com a oposição. O líder do PSDB, deputado José Aníbal (SP), afirmou que os partidos de oposição estão dispostos a buscar o acordo e apresentarão sua própria lista de prioridades. O líder tucano afirmou, no entanto, que há ressalvas em relação às matérias propostas pela base governista. - Temos questionamentos fortes a respeito da PEC das MPs. Dois pontos pioram o rito atual - ressaltou.

O líder do PT, deputado Maurício Rands (PE), espera que, mesmo sem acordo sobre o mérito das propostas, possa haver um entendimento para que não haja obstrução e a Câmara avance na votação das matérias prioritárias.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais