Paralisação em penitenciária impede visita de pais de Abadía

JB Online

CAMPO GRANDE - A greve de agentes penitenciários federais da unidade de segurança máxima de Campo Grande (MS) impediu ontem a visita dos pais do traficante colombiano Juan Carlos Abadía. Eles vieram da Colômbia e estavam desde a manhã de ontem na porta da penitenciária.

De acordo com o sindicato da categoria, a manifestação deve se prolongar até segunda-feira. Os profissionais protestam contra a redução salarial de cerca de R$ 4,5 mil para R$ 2,6 mil.

Além de Abadia, estão presos na unidade o narcotraficante Fernandinho Beira-Mar e o chefe do crime organizado em Mato Grosso comendador Arcanjo.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais