Professora diz que Isabella não desenhava madrasta

Portal Terra

SÃO PAULO - A professora Fernanda Assunção Nascimento, que dava aula para Isabella Nardoni, afirmou que chamava a atenção dela o fato de a menina retratar em seus desenhos toda a família, menos a madrasta. Segundo Fernanda, todos os parentes, incluindo o pai, a mãe e os avós, eram desenhados, exceto Anna Jatobá.

A professora foi a sétima testemunha a ser ouvida pelo juiz Maurício Fossen, no Fórum de Santana, zona norte de São Paulo. Até o momento, nove pessoas falaram ao juiz. A previsão é de que 13 testemunhas sejam ouvidas ainda hoje.

Isabella Nardoni, 5 anos, foi encontrada ferida no dia 29 de março no jardim do prédio onde moram o pai Alexandre Nardoni e a madrasta Anna Carolina Jatobá, na zona norte de São Paulo. Segundo os Bombeiros, a menina chegou a ser socorrida e levada ao Pronto-Socorro da Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta da 0h. O inquérito policial apontou que ela foi agredida, asfixiada e jogada do sexto andar do edifício.

No dia 18 de abril, Alexandre e Anna Carolina foram indiciados por homicídio doloso, triplamente qualificado. No dia 6 de maio, o promotor Francisco Cembranelli denunciou e pediu a prisão preventiva do casal, aceita pela Justiça. Alexandre está preso na Penitenciária Dr. José Augusto Salgado (P-2), em Tremembé (SP), e Anna Carolina, na Penitenciária Feminina Santa Maria Eufrásia Pelletier, também em Tremembé.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais