IBGE reafirma concentração da atividade industrial em grandes empresas

JB Online

RIO - As 3.448 grandes empresas em atividade no Brasil em 2006 concentravam 50% das pessoas ocupadas, embora representassem apenas 2,2% do total de cerca de 155 mil empresas com cinco empregados ou mais no país.

- Nas variáveis monetárias, ou seja, na geração de receita, de salário, essa concentração aumenta e vai para 70% em termos de salário e receita. Em termos de valor da transformação industrial, as grandes geram 80% do total - destacou em entrevista à Agência Brasil a gerente do Grupo de Análise do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Isabela Nunes.

A Pesquisa Industrial Anual - Empresa (PIA-Empresa), divulgada nesta quarta-feira pelo IBGE, confirma que o setor industrial é bastante concentrado. As empresas de grande porte, com mais de 250 empregados, respondiam por 80% do total produzido pelo setor há dois anos.

Considerando-se o universo de 155.057 empresas com cinco pessoas ocupadas ou mais em 2006, verifica-se que elas empregavam quase 6,8 milhões de pessoas, à média de 44 empregados por empresa.

A receita líquida gerada pelas vendas para o total dessas empresas alcançou R$ 1,3 trilhão. O salário médio mensal foi de R$ 1.350,00 e cada empresa conseguiu, em média, receita de R$ 9 milhões.

Tomando por base o porte da empresa, a pesquisa identifica que a participação na produção está concentrada nas grandes indústrias, que detêm 78,9% do valor da transformação industrial, enquanto as pequenas e médias respondem por 21,1% do total.

De acordo com o IBGE, as pequenas e médias companhias empregam de cinco a 249 pessoas e as grandes, 250 pessoas ou mais.

Segundo Isabela Nunes, a elevação dos ganhos em escala explica em boa parte a concentração do valor da transformação industrial nas empresas de grande porte.

As grandes empresas concentravam também em 2006 cerca de 70% do total de salários pagos pela indústria, com a média de 5,3 mínimos, contra 2,6 nas pequenas e médias empresas e 4,0 no total das indústrias.

A pesquisa do IBGE mostra ainda que a produtividade do trabalho, obtida a partir da relação entre o valor da transformação industrial e o pessoal ocupado, atingiu R$ 130 mil nas grandes indústrias, mais de três vezes o valor encontrado para as pequenas e médias (R$ 35 mil). Para a indústria em geral, a produtividade do trabalho foi de R$ 82 mil.

A maior quantidade de grandes empresas se concentra nas atividades de refino de petróleo e produção de álcool (36,8%) e fumo (15,9%). Nesses dois setores as empresas respondem por 98,6% e 95,1% do valor da transformação industrial, respectivamente.

Nos setores de fabricação e montagem de veículos automotores e metalurgia básica, embora o número de empresas seja reduzido ( 6,2% cada) em relação ao valor da transformação industrial, a contribuição é significativa, alcançando 92,9% e 90,0%, respectivamente.

Já considerando o conjunto geral de empresas, a maior concentração das grandes indústrias é encontrada no ramo de alimentos e bebidas, com 19,7% do total. É esse segmento ainda o que mais emprega, tanto no total da indústria (21,0%), como entre as empresas de maior porte (29,4%).