Adesão à greve dos caminhoneiros chega a 75%

Agência Brasil

SÃO PAULO - Caminhoneiros de todo o país paralisaram as atividades desde a zero hora desta quarta-feira por 24 horas. De acordo com o presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, até o momento, cerca de 75% da categoria aderiu à greve.

De acordo com ele, a meta de realizar um movimento pacífico está sendo atingida. Segundo Lopes, o único objetivo da paralisação é chamar a atenção para os problemas que os motoristas enfrentam, como falta de segurança nas estradas, aumento do óleo diesel e redução do valor do frete.

Eles também pedem alteração no decreto nº 49.487, que regulamenta novas restrições para a circulação de caminhões na cidade de São Paulo, o arquivamento do projeto de lei que derruba o vale-pedágio e a fiscalização do pagamento desse vale e do excesso de peso nos caminhões.

A categoria promove esta tarde uma passeata na Marginal Tietê, em São Paulo, com o propósito de chamar atenção dos órgãos competentes. Segundo ele, não há bloqueios nas rodovias e os caminhoneiros que não aderiram à paralisação não enfrentam problemas.