PCC mandou matar paciente em hospital

Portal Terra

SÃO PAULO - O Primeiro Comando da Capital (PCC) foi o responsável pela ordem de matar o professor de capoeira Ludmar de Andrade, 29 anos, dentro da UTI do hospital de Cidade Tiradentes, zona leste de São Paulo, segundo a polícia.

Andrade foi morto por um grupo que invadiu o hospital. Ele havia sobrevivido de um atentado dois dias antes. Segundo o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a facção teria julgado e condenado o capoeirista à morte em 31 de maio, porque ele teria atirado no rosto de um jovem que teria tentado violentar sua enteada.