Dez suspeitos de desvio de recursos do PAC continuam foragidos

Agência Brasil

BRASÍLIA - A superintendência da Polícia Federal em Minas Gerais informou hoje que dez pessoas que tiveram mandados de prisão expedidos na Operação João de Barro continuam foragidas. Elas são acusadas de envolvimento em um esquema de desvio de recursos em obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e também de emendas parlamentares.

A operação foi deflagrada na sexta-feira, quando a PF prendeu 26 pessoas. Outras duas se apresentaram espontaneamente nos últimos dois dias. Foram cumpridos ainda 231 mandados de busca e apreensão que incluíram os gabinetes dos deputados federais João Magalhães (PMDB-MG) e Ademir Camilo (PDT-MG).

Os parlamentares são investigados pela suposta prática de três crimes: corrupção passiva, concussão (extorsão cometida por funcionário público) e tráfico de influência.

Segundo a PF, os dois deputados irão prestar depoimento mas caberá a eles o agendamento e a definição do local em que serão ouvidos.