Não queremos chorar a seiva derramada, diz Minc

Portal Terra

BRASÍLIA - O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, lamentou os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) que apontam aumento do desmatamento na Amazônia no mês de abril. Segundo ele, os dados são "preocupantes", mas, pelo menos, permitem que o governo elabore ações para impedir que os números continuem crescendo nos próximos meses.

- Não queremos chorar a seiva derramada, queremos agir antes do desmatamento - disse.

Entre as medidas anunciadas pelo ministério para conter os índices de desmatamento, o ministro citou uma chamada por ele de "boi pirata". Segundo Minc, as autoridades vão começar a apreender gado ilegal para conter os índices de desmatamento no país.

- É o chamado boi pirata, o gado encontrado em área ilegal, que não está regularizada do ponto de vista ambiental e que será apreendido por nós - disse. De acordo com o ministro, as ações de apreensão serão feitas em conjunto com a Polícia Federal e serão iniciadas ainda neste mês. O ministro acredita que, com isso já será possível se obter bons resultados no futuro já que, na visão dele, a produção de soja e de carne é responsável por grande parte do desmatamento.

- Como já se sabe, o avanço do gado em áreas de fronteira é responsável por 70% ou 80% do desmatamento - afirmou. Minc disse ainda que o gado apreendido poderá ser doado para o programa Fome Zero.

- Vamos diminuir o desmatamento e ainda alimentar alguém - defendeu.