Berzoini nega acordo informal do PT com PSDB em Belo Horizonte

REUTERS

BRASÍLIA - O presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini, negou nesta segunda-feira que o partido tenha aprovado uma aliança informal com o PSDB para as eleições deste ano em Belo Horizonte (MG).

- Não procede a informação de que o Diretório Nacional tenha deliberado por uma aliança informal com o PSDB em Belo Horizonte. O Diretório não entrou nesse debate, não havendo nenhum apreço por alianças informais que não fiquem transparentes para os eleitores - diz Berzoini em nota enviada à imprensa.

Na sexta-feira, o Diretório Nacional do PT confirmou decisão da Executiva Nacional do partido e vetou a aliança entre a legenda e o PSDB para as eleições de outubro na capital mineira.

No entanto, fora dos holofotes, teria sido negociado o apoio informal do governador Aécio Neves (PSDB) a uma chapa encabeçada por Márcio Lacerda (PSB), tendo o deputado estadual petista deputado Roberto Carvalho (PT) como vice.

A parceria foi arquitetada ao longo deste ano pelo prefeito da cidade, Fernando Pimentel (PT), e por Aécio. Indicado pelo governador, Lacerda é ex-secretário estadual de Desenvolvimento Econômico.

Berzoini afirma que não é verdade que o diretório nacional tenha revogado o veto da Executiva na sexta-feira à coligação com o PSDB, como afirma ter sido noticiado.

- Ao recomendar aos companheiros de Belo Horizonte que voltem a discutir e deliberar sobre o assunto, o DN nada mais fez do que somar, às decisões da Executiva, um gesto de cordialidade e gentileza para com os defensores da coligação, de maneira que o Diretório Municipal de BH possa adequar-se às decisões nacionais por sua própria deliberação, sem a necessidade de medidas estatutárias - disse.