Marisa: secretária de Dilma poderá ser convocada

JB Online

BRASÍLIA - A presidente da CPI mista dos Cartões Corporativos, senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), disse que a secretária executiva da Casa Civil, Erenice Guerra, poderá ser convocada para prestar depoimento. A decisão vai depender do resultado da sessão da próxima terça-feira, quando a CPI ouvirá o ex-funcionário da Casa Civil apontado como vazador dos dados sigilosos sobre gastos do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso, José Aparecido Nunes Pires, e o assessor do senador Álvaro Dias (PSDB-PR), André Fernandes.

- Eu não sei o que ele (Aparecido) pode fazer nesse caso, mas o nome de Erenice está surgindo desde o início, o cerco está se fechando e, isso ocorrendo, pode ser que ela seja convocada - disse Marisa.

A senadora disse ainda que, na próxima terça-feira, poderá ser realizada uma acareação com Aparecido e Fernandes.

- Se houver qualquer tipo de contraponto, aí deve ser realizada a acareação. Aparecido dá a impressão de que não quer falar - afirmou Marisa.

A presidente da CPI descartou a possibilidade de adiar o depoimento dos dois na próxima terça-feira. Aparecido presta depoimento hoje para a Polícia Federal e os integrantes da CPI pretendem ouvir tanto Aparecido quanto Fernandes com as cópias dos depoimentos à PF em mãos.

- Não vejo razão alguma para postergar a sessão de terça, só se houver algo muito grave - afirmou Marisa.

Uma sindicância da Casa Civil apontou Aparecido, secretário de Controle Interno da Casa Civil, como o responsável pelo vazamento dos dados sigilosos sobre gastos do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso. Segundo as investigações, ele trocou e-mails com André Fernandes, anexando o suposto dossiê às mensagens. Pires confirmou a troca de e-mails, mas negou ter enviado o arquivo.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais