Iphan: queijo de Minas vira patrimônio cultural

Portal Terra

BELO HORIZONTE - O Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) aprovou ontem o registro do modo artesanal de fazer queijo-de-minas como patrimônio imaterial brasileiro. A reunião do Conselho ocorreu no Museu de Artes e Ofícios, em Belo Horizonte.

- O queijo, este produto de origem milenar que os exploradores do ouro trouxeram para Minas, é hoje uma das maiores expressões da chamada mineiridade - afirmou a conselheira do Iphan, Angela Gutierrez.

Em seguida, o instituto também votou o tombamento da Casa de Chico Mendes, em Xapuri, no Acre, onde o líder sindical e ambientalista foi assassinado há 20 anos.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais