Caso Isabella: nova regra pode acelerar júri, diz jornal

Portal Terra

SÃO PAULO - O júri de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, acusados pela morte da menina Isabella Nardoni, 5 anos, filha de Alexandre e enteada de Anna Carolina, poderá ocorrer dentro de seis meses, caso o pacote antiimpunidade aprovado pela Câmara dos Deputados seja sancionado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo.

O Projeto de Lei 4.203/2001 prevê que, se um julgamento de homicídio não ocorrer até seis meses após o réu ser mandado a júri, o caso poderá ser transferido de cidade. Caso isso ocorra, o prazo não recomeça do zero e deve ser julgado rapidamente, segundo o deputado Flávio Dino (PCdoB-MA), relator do texto aprovado.

Para que a lei seja aplicada ao caso Isabella, no entanto, a sanção do presidente Lula ao pacote deve ocorrer antes da fase de pronúncia - quando o juiz decide se o réu vai ou não a júri.

Para o promotor Francisco Cembranelli, que apresentou a denúncia contra o casal, a regra não deve mudar o andamento do processo no 2º Tribunal do Júri, pois tudo está sendo feito de forma rápida no caso em questão.

O interrogatório de Alexandre e Anna Carolina está marcado para o dia 28. Cerca de 20 dias depois, serão ouvidas as 16 testemunhas de acusação e, 20 dias mais tarde, as de defesa.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais