Gilberto Gil diz que a Bahia não está no Nordeste

Yala Sena, Portal Terra

TERESINA - O ministro da Cultura, Gilberto Gil, criou mal estar nesta noite ao afirmar que a "Bahia não está no Nordeste" durante o seminário O Novo Nordeste e o Brasil, realizado em Teresina (PI). O evento foi organizado pela Fundação Perseu Abramo, ligada ao Partido dos Trabalhadores e contou com a presença do secretário da Presidência Luis Dulci e do governador do Piauí, Wellington Dias (PT).

Durante sua explanação, o cantor e compositor declarou que "a Bahia não está no Nordeste", argumentando que o Estado é "intermediário geograficamente com o centro Oeste e o Sudeste" e afirmou: "a Bahia é a Bahia", justificou o ministro ao ouvir reações da platéia.

A petista Luzanira de Sousa, presidente da Secretária de Assistência Social no município de Picos, sul do Piauí, contestou o ministro e gritou: "O Piauí é o Piauí".

O ministro tentou esclarecer seu comentário.

- Não adianta fazer cara feia gritando que o Piauí é o Piauí. Não vou colocar a disputa entre o Piauí e a Bahia. Pelo amor de Deus, não façam isso - pediu.

Gilberto Gil explicou que tanto o território, como a genética e a vida cultural da Bahia são importantes para o Nordeste, e que seu Estado faz parte do Brasil como um todo.

- É uma terra iniciada geograficamente e está no meio da costa atlântica brasileira, e politicamente tem sido intérprete do anseio brasileiro - declarou Gil, sem entender o motivo do mal entendido.

- Todas as escolas de samba do Rio (de Janeiro) e de outros Estados são obrigadas a ter ala de baianas. A Bahia é uma terra de todos e era isso que eu queria aproveitar para falar. A Bahia é de todos - acrescentou Gilberto Gil, sob olhares do governador Wellington Dias e do ministro-chefe da Secretária-Geral da presidência da República, Luiz Dulci.

Na tentativa de se explicar, o ministro frisou que, ao retornar do exílio no período da ditadura militar, fez questão que seu primeiro show fosse em Pernambuco, e não na Bahia, e citou a riqueza do povo nordestino pelo Brasil, como os Estados da Amazônia, todos colonizados pela cultura nordestina, e a força motora usada nas construções em São Paulo.

- Nas favelas da Maré e Rocinha, no Rio de Janeiro, os avós e mães são todos nordestinos. Brasília é feita por nordestinos - completou.

Exaltando a característica pluricultural do Nordeste, Gilberto Gil finalizou dizendo que a cultura é mais importante que qualquer outra área.

- A vida é movida pela capacidade das pessoas dizerem eu te amo. Isso é cultural - concluiu.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais