SC: municípios em emergência sobe para 31

Agência Brasil

SANTA CATARINA - As conseqüências das chuvas causadas pela passagem de um ciclone extratropical neste fim de semana no Sul do país se agravaram de ontem para este domingo em Santa Catarina. O número de municípios do Estado em situação de emergência subiu de cinco para 31, todos eles localizados no extremo sul do estado, na região de Araranguá, próximo à divisa com o Rio Grande do Sul.

A situação mais grave é na cidade de Ermo, a 238kms de Florianópolis, onde cerca de 3 mil pessoas, aproximadamente 30% da população, foram desalojadas e estão sendo abrigadas no prédio da prefeitura. A água chega a atingir um metro dentro das casas.

De acordo com o capitão Márcio Alves, diretor da Defesa Civil do Estado, ainda não foi possível contabilizar o número de desabrigados, devido à dificuldade de acesso.

- Nós estamos usando tratores para chegar a algumas comunidades e ainda assim com uma certa dificuldade. Por isso, é difícil levantar quantos são os desabrigados. Temos alguns municípios, como Ermo e Jacinto Machado, com áreas isoladas e por isso vamos deslocar hoje um helicóptero para a região - informou.

O diretor explicou que a situação vem se agravando porque a chuva continua na região serrana do Estado, aumentando a captação de água em vários rios e fazendo-os transbordar. As águas do Araranguá, por exemplo, estão quase atingindo a BR- 101, principal ligação entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Segundo Alves, se o nível do rio não baixar nas próximas horas, será preciso interditar a estrada.

No estado gaúcho, que também sofre com as chuvas, a rodovia está interditada desde ontem na altura do km 49 por causa do transbordamento do Rio Três Forquilhas. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, a água subiu 1,50m acima da ponte, próxima à cidade de Torres, impedindo o tráfego de carros e caminhões, que está sendo desviado pela Estrada do Mar (RS-389) sem previsão de ser normalizado.

No Rio Grande do Sul, onde chove desde a última sexta-feira, os maiores problemas estão concentrados em Porto Alegre e 17 municípios da região metropolitana e do litoral norte, atingidos por alagamentos, enxurradas, além de quedas de árvores e de postes causadas pelos ventos.

Três deles, Santo Antônio da Patrulha, Caraá e Itati; informaram que vão decretar estado de emergência, de acordo com o coordenador da Defesa Civil estadual, coronel João Prates.

A estimativa é de que a chuva tenha causado problemas a cerca de 100 mil pessoas e pelo menos duas mil estão desalojadas, 300 delas na capital.

Um homem morreu, atingido pelo desabamento de uma árvore sobre seu carro no município de Serafina Corrêa, na serra gaúcha. Na zona sul da capital, uma mulher morreu em um bairro alagado, mas ainda não foi apurada relação direta com as chuvas, já que a causa foi um infarto.

Segundo a Defesa Civil gaúcha, a situação é de estabilidade neste domingo em relação ao dia de ontem.

A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é de que ainda haja ocorrência de chuva e rajadas de vento até amanhã tanto no leste do Rio Grande do Sul quanto no litoral sul de Santa Catarina.