Condepe pode abrir novo inquérito contra casal Nardoni

Portal Terra

SÃO PAULO - O secretário-geral do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe), Ariel de Castro, afirmou que existe a possibilidade de ser instaurado um novo inquérito contra Alexandre Nardoni e Anna Carolina Trotta Jatobá, investigados pela morte da menina Isabella Nardoni, 5 anos. Segundo Ariel, o casal impediu a visita de uma funcionária do Conselho Tutelar para verificar o estado de Pietro e Cauã Nardoni, filhos dos dois.

Castro explicou que existem duas alternativas nesse caso: apresentar a queixa o MP, que levaria a um novo inquérito contra o casal, ou fazer uma nova tentativa de visita, assessorada por força policial. A decisão do secretário-geral ainda não foi tomada.

- Desde que exista o indício de que as crianças passem por um momento que classificamos como situação de risco, é dada ao Conselho Tutelar a atribuição de atuar com total liberdade. Nesse caso, o impedimento do trabalho dos conselheiros implica em ato criminoso - disse Castro.

Na segunda-feira, o secretário-geral entrou com um requerimento para que o Conselho Tutelar da Criança e do Adolescente realizasse uma visita às crianças. Castro, que também membro do Conselho Nacional da Criança e do Adolescente, explicou que a visita porque os dois passam por uma situação traumática.

Na quarta-feira, uma funcionária do Conselho Tutelar esteve no prédio da família Jatobá, em Guarulhos. Ela se comunicou via interfone com uma pessoa que teria se identificado como pai das crianças e impedido a visita, alegando que seus filhos passavam bem.

De acordo com Castro, o artigo 236, previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente, determina que impedir ou embaraçar a ação de intimação judicial, membro do Conselho Tutelar ou representante do ministério Público no exercício de sua função implica em pena de detenção de seis a dois anos.