Ibama: multas por desmate superam R$ 60 milhões

Portal Terra

SÃO PAULO - Em dois meses de atuação, a operação Arco de Fogo superou R$ 60 milhões com 338 multas aplicadas contra o desmatamento da Amazônia pelas cinco bases da operação montadas nos Estados do Mato Grosso, Pará e Rondônia. Fiscais do Ibama e policiais federais e da Força Nacional de Segurança Pública fiscalizaram 166 propriedades, entre empresas e fazendas, apreendendo 37,4 mil m³ de madeira ilegal, o suficiente para encher 1,5 mil caminhões.

A Operação Arco de Fogo é uma ação integrada de forças federais para combater o desmatamento da Amazônia e a cadeia do comércio de madeira ilegal. A ação não tem data para terminar.

Segundo o Ibama, as atividades foram paralisadas em 42 estabelecimentos devido à falta de licenciamento ou por depósito ou venda de madeira sem origem legal. Também foram apreendidos 1,4 m de carvão vegetal ilegal, 26 veículos e 31 motosserras utilizados na prática do crime ambiental. Os agentes públicos destruíram 1,6 mil fornos de produção de carvão vegetal clandestinos.

Em Tailândia (PA) e em Machadinho D'Oeste (RO), o trabalho foi concluído. No Pará, a ação prossegue na cidade de Paragominas. Em Rondônia, a equipe fiscaliza agora o município de Cujubim. No Mato Grosso, a operação continua em Sinop e Alta Floresta.

A Operação Arco de Fogo em Paragominas, no sudeste do Pará, já superou a marca dos R$ 12 milhões em multas aplicadas desde o início de suas atividades no município.

As equipes vistoriaram 20 empresas no município, resultando no embargo das atividades de quatro serrarias e uma carvoaria. A operação também vistoriou sete polígonos de desmatamentos, embargando as atividades em 1288 hectares onde a floresta foi devastada, visando a sua regeneração natural.

De acordo com balanço do Ibama, foram apreendidos até o momento 6.747,123 m3 de madeira em toras, 1168,63 m3 de madeira serrada, 105 metros de carvão, 130 estéreo de lenha, dois caminhões, uma máquina carregadeira e duas motosserras na região.