MST: centenas fazem caminhada em Belém

Portal Terra

BELÉM - Centenas de integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra participam de uma caminhada pelas principais avenidas de Belém (PA). O ato faz parte da programação do Abril Vermelho, série de manifestações que incluem ocupação de fazendas e prédios públicos no país para lembrar os 12 anos da morte de 19 trabalhadores rurais em confronto com a Polícia Militar, no município de Eldorado de Carajás, no Pará.

A caminhada começa na Praça da Leitura e segue até à sede do Ministério Público Federal, onde o MST entrega um dossiê com denúncias sobre a criminalização do movimento.

- Esse dossiê contém denúncias de crimes que são atribuídos ao movimento. Estamos sendo marginalizados, apontados como bandidos, quando na verdade somos vítimas. Queremos que isso tudo seja esclarecido - disse um dos coordenadores do MST no Pará, Ulisses Manaças.

Participam da caminhada trabalhadores sem-terra que estão acampados desde terça-feira, no Centro de Belém, para acompanhar a programação alusiva à data.

- Ao todo, são pelo menos 450 pessoas vindas de cerca de seis municípios do interior do Pará - estima Manaças.

Dois acampamentos foram montados para a realização das programações, um na capital e outro no local conhecido como Curva do S, na rodovia PA-150, em Eldorado dos Carajás.

A maior concentração de trabalhadores rurais é em Carajás. Segundo o movimento, a estimativa é de cinco mil pessoas.

Na quinta-feira, dia que as mortes dos sem-terra completam 12 anos, atos ecumênicos acontecem em Belém e Eldorado. Em Eldorado, a programação acontece durante todo o dia, se estendendo até as 17h, momento do massacre.

Nesta hora, dois atos ecumêmicos acontecem simultaneamente, nos dois locais, para relembrar os trabalhadores mortos.