Vizinha diz que pode esclarecer caso de menina jogada de predio em SP

Portal Terra

SÃO PAULO - Uma vizinha do pai da menina Isabella Oliveira Nardoni, 5 anos, que teria sido assassinada ao ser jogada do 6° andar de um edifício na Zona Norte de São Paulo, afirmou hoje, ao sair do 9º Distrito Policial, que tinha fornecido informações que poderiam esclarecer o caso.

Em seguida, chorando muito, a testemunha afirmou que "não ouviu nada e não viu nada". Ela depôs na manhã de hoje, juntamente com o marido. Os dois moram no 1º andar do edifício.

Isabella caiu do prédio por volta das 23h30 do último sábado. Segundo os Bombeiros, a menina chegou a ser socorrida e levada para o pronto-socorro da Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta da 0h.

O delegado Calixto Calil Filho, titular do 9º Distrito Policial (Carandiru), disse que a morte será investigada como homicídio, pois a tela de proteção da janela foi cortada. Havia marcas de sangue no quarto da criança, o que, segundo o delegado, reforça a tese de que ela foi agredida antes de ser jogada.