Reunião no ministério pode acabar com greve dos Correios

Júlia Moura, JB Online

RIO - Representantes da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) se reunirão na tarde desta terça-feira, às 16h, com o senador Paulo Paim (PT/RS), o deputado federal Daniel Almeida (PCdoB), o Presidente dos Correios Carlos Henrique Custódio para um possível acordo com os funcionários dos Correios.

Funcionários da ECT (Empresa de Correios e Telégrafos) entraram em greve nesta terça-feira por tempo indeterminado. Segundo a Fentect, 23 sindicatos aderiram à paralisação. Os servidores reivindicam um adicional de periculosidade equivalente a 30% do salário por mês, aumento no percentual da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) referente a 2007.

De acordo com o secretário da Fentect, Francisco José Nunes, os funcionários reivindicam que o acordo assinado em novembro de 2007 pelo ministro das Comunicações, Hélio Costa e pelo presidente dos Correios, onde empresa havia se comprometido a pagar "em definitivo" o referido adicional a partir de março deste ano, seja cumprido.

- Nós queremos, além do adicional de risco, que a Participação nos Lucros e Resultados seja distribuída aos funcionários dos correios sem distorções. Não dá para um funcionário receber R$ 60 e o outro R$ 50 mil alega Francisco José Nunes.

Segundo a assessoria dos Correios, a empresa pagou aos carteiros um abono emergêncial durante três meses e que a Lei não permite que se pague à categoria adicional de risco, já que não consta na lista de categorias que podem receber adicional de periculosidade. Mesmo assim, a assessoria ressalta que os Correios tentam um acordo com os funcionários para que os serviços retomem normalmente.

As unidades da federação onde os trabalhadores dos Correios já decretaram greve são Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo e Tocantins.

A Fentect aguando o resultado da reunião de hoje para através de assembléia resolver se aceita ou não um acordo.