PE: 30 t de documentos ficam retidos devido à greve

Alexandra Torres, Portal Terra

RECIFE - Por causa da greve dos funcionários dos Correios, cerca de 30 t de documentos ficarão retidas nos Correios só em Pernambuco. Parte deles, seriam destinados a outros Estados, como Sergipe, Rio Grande do Norte, Paraíba e Alagoas.

A greve dos funcionários é um protesto contra a forma de distribuição da Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) e do pagamento adicional de risco, além da reivindicação de que mais profissionais sejam contratados.

Outra reivindicação dos grevistas é a destituição do presidente nacional dos Correios, Carlos Henrique Custódio, e da diretora de Recursos Humanos da empresa, Maria Rosalem. Estão mobilizados na paralisação, funcionários filiados aos 33 sindicatos da categoria, menos o de Bauru, localizado em São Paulo

Segundo o secretário geral do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios em Pernambuco, Hálisson Tenório, a distribuição da PLR para os trabalhadores se dá de forma injusta. Segundo ele, enquanto os trabalhadores táticos e operacionais (carteiros, motoristas, atendentes comerciais e operadores de triagem e transbordo) recebem de R$ 100 a R$ 500; os gestores estratégicos (chefes de distribuição domiciliar, assessores, presidente) tem uma participação de R$ 3 mil a R$ 44 mil.

- O presidente dos Correios recebeu R$ 44 mil, enquanto o máximo que muitos trabalhadores podem obter é uma participação de R$ 500 - afirmou Tenório.

Os trabalhadores dos Correios querem ainda que o pagamento adicional de risco seja mantido no valor de 30%, em relação ao salário base da categoria, e que seja ampliado para outras funções. A contratação de mais funcionários é uma outra exigência da categoria. De acordo com Hálisson Tenório, "há 10 anos o efetivo não aumenta, mas a carga de trabalho tem aumentado".