Número de casos de dengue dobra em 2008 na Bahia

Portal Terra

SALVADOR - Nos três primeiros meses de 2008, o número de casos de dengue na Bahia dobrou em relação ao ano passado. Até final de março, segundo a Secretaria Estadual da Saúde, foram registrados 8.343 casos no Estado, número bastante superior ao verificado no mesmo período de 2007, quando foram registradas 3.263 notificações.

Do total deste ano, apenas 13 casos foram de febre hemorrágica e uma morte foi confirmada no município de Lauro de Freitas. A preocupação das autoridades sanitárias do Estado é com a região de Irecê, distante 450 km de Salvador, que registra mais de 7 mil casos da doença em 2008.

Pelo menos 13 municípios podem estar em risco. - Nessa região está caracterizada uma epidemia, mas a situação está controlada com a intensificação do trabalho de prevenção nas casas - afirmou o secretário estadual da Saúde, Jorge Solla.

Segundo o secretário, a explosão da doença na região deve-se à descontinuidade do trabalho de prevenção, já que o município está selecionando agentes comunitários de controle de endemias através de concurso público. - Os casos de dengue normalmente se acentuam após o verão, por isso a prevenção deve ser feita durante todo o ano para se evitar uma explosão de casos - explicou Solla.

Em Salvador, os números apresentaram redução. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, foram registrados 178 casos nos primeiros meses de 2008, contra 497 verificados em 2007. - Esses números não correspondem à realidade - avalia a coordenadora de doenças de transmissão vetorial da Secretaria Estadual da Saúde, Jesuína Castro.

Segundo a coordenadora, o motivo são as constantes paralisações dos agentes municipais de controle de endemias em função de atrasos nos salários e a dificuldade dos postos de saúde municipais no encaminhamento dos dados à secretária estadual.

Solla garantiu que os agentes da capital, que estavam em greve desde o dia 13, retornam ao trabalho na quarta-feira.

O Estado prepara ações de reforço na prevenção, com o treinamento de 170 bombeiros. Eles irão atuar no trabalho de combate aos focos do mosquito. Outros 230 funcionários da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), cedidos pelo Ministério da Saúde, já atuam nos municípios baianos.

O Ministério da Saúde também inicia uma campanha de conscientização da população em rádios e TVs da região metropolitana de Salvador.