Múcio quer conclusão de sindicância sobre dossiê

Portal Terra

BRASÍLIA - O ministro das Relações Institucionais, José Múcio, disse na tarde desta terça-feira, após reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), esperar que nessa semana se descubra quem vazou os dados do Sistema de Suprimento de Fundos (Suprim), onde estão arquivados os gastos da Presidência da República com cartões corporativos e contas tipo B (pagamento de despesas de funcionários públicos por apresentação de notas fiscais).

A Casa Civil abriu uma sindicância interna no dia 24 de março para apurar quem montou uma base de dados paralela com informações sobre os gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e sua mulher, Ruth Cardoso.

Questionado sobre a possibilidade de se apontar o responsável pelos vazamentos, o ministro disse que espera que ainda essa semana isso aconteça.

- Nessa semana é que estou torcendo é para que as coisas se esclareçam. Era ótimo que aparecesse (o autor do vazamento). Eu torço que isso passe para a gente tratar de trabalhar - comentou.

- A crise é da democracia, do debate político. Ninguém deseja mais que o governo que isso tudo seja esclarecido e é por causa disso que nós nos antecipamos ao pedido da CPI mista (dos Cartões Corporativos) e evidentemente todos nós responsáveis do governo e da oposição devemos zelar para que a CPI busque verdadeiramente esclarecimentos e não se transforme em palco político. Mas tudo isso ao longo dessa semana será esclarecido - afirmou Múcio.

Segundo ele, a ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, se transformou em alvo da oposição.

- A ministra é forte o tempo todo. Ela é a grande condutora deste momento que o Brasil tem vivido, deste momento de desenvolvimento que estamos vivendo. Evidentemente que algumas pessoas tentam atingi-la. A gente precisa ter mais cuidado para não atrapalhar os que estão trabalhando - argumentou Múcio.