Delegado vai pedir nova perícia no apartamento de menina jogada

Portal Terra

SÃO PAULO - O delegado titular do 9º Distrito Policial (Carandiru), Calixto Calil Filho, disse que vai solicitar nova perícia no carro e no apartamento do pai da menina Isabella Oliveira Nardoni, 5 anos, que morreu após cair do 6º andar do edifício, da Zona Norte de São Paulo. Calil Filho quer descobrir qual objeto serviu para cortar a tela de proteção da janela por onde a garota teria sido jogada.

O delegado evitou o termo suspeito para mencionar o pai da menina e disse que Alexandre Nardoni segue como averiguado. No entanto, o titular confirma que dois depoimentos relatam gritos de uma criança em desespero.

Segundo as testemunhas, "Pára, pai. Pára, pai" seria porque Nardoni estava fazendo alguma coisa de errado.

Calil Filho afirma ter ouvido hoje o depoimento de seis testemunhas que, segundo ele, não trouxeram nenhum fato novo para o caso. Para quarta-feira, estão previstos, entre outros, o depoimento da mãe da menina, Ana Carolina Oliveira.

O delegado afirma que há três pontos que, em sua opinião, estão mais nebulosos. Segundo ele, a ausência de arrombamento na casa, o fato de que não faltava nada entre os pertences do casal e, finalmente, nenhum indício de que alguém estranho tenha estado no prédio são intrigantes.

Calil Filho admitiu também a possibilidade de a madrasta da menina, Anna Carolina Brotta, não ter ficado esperando no carro, como o relatado pelo pai em depoimento à polícia.