Força Nacional não irá substituir PM em Maceió, afirma Tarso Genro

Agência Brasil

BRASÍLIA - As ações da Força Nacional de Segurança Pública vão auxiliar o serviço de segurança em Maceió, mas não vão tomar lugar da polícia local, afirmou o ministro da Justiça, Tarso Genro.

A capital de Alagoas recebeu nesta sexta-feira o reforço de 41 agentes para tentar diminuir o aumento da violência na cidade.

- As operações são determinadas pela autoridade local. Elas dão sustentação, entram em situações excepcionais e não vão substituir a Polícia Militar local. Essa não é a sua função.

Operações como as realizadas no ano passado durante os Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, segundo o ministro, não devem se repetir.

- A Força Nacional teve um momento no Pan em que ela funcionou praticamente como substitutiva das ações policiais militares sob controle do Estado. Agora ela tem uma nova regulamentação e só entra sustentando operações definidas pela autoridade local pra dar respaldo a essas operações.

A Polícia Civil de Alagoas suspendeu mês passado uma greve de quase sete meses. De acordo com o sindicato da categoria, nos dois últimos anos o número de mortes violentas com armas de fogo aumentou em mais de 50% no estado. Parte das estatísticas é atribuída à suspensão dos serviços policiais.

Tarso destacou a importância de restabelecer a ordem no estado nordestino.

- O estado do Alagoas é tão simbolicamente importante para o Nordeste como é o Rio de Janeiro para o Sudeste.