Fórum de Educação quer discutir com sociedade melhorarias do ensino

Agência Brasil

BRASÍLIA - O cenário da educação no mundo e formas de melhorar o aprendizado com foco na emancipação do aluno e na valorização da diversidade em sala de aula serão temas do Fórum Mundial de Educação, que começou nesta quinta-feira, em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense.

A proposta do evento é ampliar o espaço do debate com os especialistas e chegar até a população por meio de rodas de discussão, apresentações culturais como a dança, o circo e o teatro, realizados simultaneamente em vários pontos da cidade.

Na programação, atividades em diversas áreas, com destaque para práticas de ensino da cultura negra e formas de incluir alunos deficientes e gays. Devem participar das atividades, educadores de vários países, movimentos sociais, sindicatos, representantes de governos, entre outros.

Os estudantes também terão espaço de destaque. A União Nacional dos Estudantes (UNE) no Rio, por exemplo, pretende apresentar problemas enfrentados pelos participantes do Programa Universidade para Todos (Prouni), que desde 2005 concede bolsas de estudo a alunos de baixa renda em faculdades privadas.

Em outro espaço, os movimentos sociais, que desenvolvem projetos de educação popular, apresentarão suas propostas. O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) levará experiências de educação no campo.