Convocação de Dilma seria 'tentativa de politizar' CPI, diz Fontana

Agência Brasil

BRASÍLIA - O líder do governo na Câmara, deputado Henrique Fontana (PT-RS), disse que a base governista é contra a convocação da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, para prestar depoimento na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Cartões Corporativos. De acordo com o deputado, a presença de Dilma Rousseff seria uma "tentativa de politizar" a CPMI.

- O governo tem uma posição e vai sustentá-la. Entendemos que a tentativa de convocar a ministra-chefe da Casa Civil é uma tentativa de politizar essa Comissão, de fazer luta política desqualificada. Significaria colocá-la sob suspeição inadequadamente - disse.

Numa reunião tensa e marcada por palavras duras por parte de parlamentares governistas e de oposição, a CPMI tem uma lista de requerimentos para votar, entre eles, o que convoca Dilma Rousseff.

A oposição faz questão de ouvi-la, principalmente depois da divulgação de suposto dossiê com informações de gastos da Presidência na época do governo Fernando Henrique Cardoso.

A Casa Civil negou a existência desse relatório, assim como Henrique Fontana.

- Não há por parte do governo nenhum tipo de dossiê. Isso seria absurdo e inadequado - disse.

Diversos requerimentos de inversão de pauta estão sobre a mesa da presidente Marisa Serrano. A oposição quer acelerar a votação e a base governista, adiar ao máximo.