Obama e Hillary arrecadaram US$ 370 milhões para suas campanhas

Agência EFE

WASHINGTON - Os pré-candidatos democratas à Presidência dos Estados Unidos Barack Obama e Hillary Clinton arrecadaram mais de US$ 370 milhões para suas campanhas, segundo os relatórios apresentados à Comissão Eleitoral Federal (FEC, na sigla em inglês).

Já o senador do Arizona, John McCain, que parece ter garantida sua candidatura presidencial pelo Partido Republicano recebeu US$ 66,4 milhões.

Como as contribuições podem ser destinadas tanto à campanha para as primárias quanto à campanha final para as eleições de novembro, a situação dos três políticos no que diz respeito às finanças é bem diferente. Os fundos recebidos para a campanha presidencial não podem ser usados nas campanhas primárias.

Em fevereiro, o senador de Illinois, Obama, bateu um recorde de coleta mensal com US$ 55,4 milhões, e desde que começou sua campanha pela Presidência, há mais de um ano, acumulou US$ 197,3 milhões, segundo mostram os números da Comissão Eleitoral Federal.

O montante total inclui US$ 8,2 milhões para a disputa em novembro. Obama gastou até agora US$ 158,5 milhões o que significa que ainda lhe restam US$ 42,8 milhões em seus cofres, e tem uma dívida de apenas US$ 625 mil.

A senadora de Nova York arrecadou em fevereiro US$ 34,5 milhões e gastou no total US$ 140,7 milhões. Dado que a maior parte de seus fundos está destinada à eleição de novembro - caso realmente se torne a candidata democrata - Hillary teve que se endividar em US$ 8,7 milhões para garantir a campanha durante as primárias.

McCain arrecadou no total US$ 66,4 milhões, e gastou US$ 58,4 milhões. Em fevereiro a campanha de McCain recebeu US$ 11 milhões e o senador tem uma dívida de US$ 4,3 milhões.

Para McCain foi seu segundo mês de maiores contribuições, mas a receita esteve abaixo dos US$ 11,7 milhões que o senador do Arizona recebeu em janeiro quando ainda enfrentava três adversários pela candidatura presidencial republicana.

A enorme diferença entre os montantes de contribuições para os democratas e os fundos que recebe o seguro candidato republicano indica que McCain poderia optar pelo programa de fundos públicos para a eleição de novembro.

Essa decisão lhe garantiria US$ 84 milhões, embora também lhe imponha limites que igualmente o deixam em desvantagem frente à inundação de propaganda que poderá lançar o candidato democrata, seja quem seja seu candidato.

Até hoje, McCain não disse se recorrerá ao financiamento governamental de sua campanha e, caso faça, teria que devolver ou transferir ao chamado comitê de campanha os US$ 2,9 milhões arrecadados para a eleição geral.