Ministro da CGU quer valor fixo para diárias em viagens

Agência Brasil

BRASÍLIA - Apesar de defender o uso do cartão corporativo no governo federal, o ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage, disse nesta quarta-feira (19) que os ministros, em viagens, deveriam receber um valor fixo nas diárias. Segundo ele, nos próximos dias o governo baixará um decreto sobre o assunto.

- Não tem por que suprimir a diária. Com o cartão, cabe ao ministro decidir se se hospedará no Copacabana Palace ou em um hotel de quatro ou três estrelas - disse.

- Tem de ser um valor fixo, se ele quiser um lugar melhor, que pague do próprio bolso - completou.

Ele considerou como "inqualificável" a proposta feita ontem (18) pelo representante do Ministério Público no Tribunal de Contas da União de suspender o uso de cartão corporativo. - Não tenho outra expressão. É inqualificável - disse.

Na última terça-feira (18), o representante do Ministério Público no TCU defendeu a suspensão do uso do cartão corporativo até que sejam criados instrumentos efetivos de fiscalização dos gastos.