Número de cirurgias no Hospital das Clínicas cai 57% após incêndio

Vagner Magalhães, Portal Terra

SÃO PAULO - O número de cirurgias realizadas pelo Instituto Central do Hospital das Clínicas despencou em janeiro, após o incêndio ocorrido em 24 de dezembro do ano passado. No primeiro mês do ano, foram registradas 838 cirurgias, 57,71% a menos que no mesmo período de 2007. O número é também 56,98% inferior ao de janeiro de 2006.

Os dados foram disponibilizados pelo Serviço da Análise de Dados da instituição. Os atendimentos de fevereiro ainda não foram contabilizados.

Na sexta-feira, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) entregou ao Hospital das Clínicas o laudo com as causas do incêndio da véspera do Natal, que pode ter sido provocado pelo furto de cabos elétricos do local. O laudo aponta que outro incêndio, de menores proporções, em janeiro, foi criminoso e aconteceu com o uso de álcool.

Segundo médicos ouvidos pela reportagem, a situação atual de atendimento geral ainda sofre as conseqüências do fogo, apesar de a administração minimizar os dados.

A assessoria de imprensa da superintendência do hospital reconhece o número menor de cirurgias, mas garante que todas as que envolviam casos graves foram realizadas, ainda que em outras unidades.

O hospital informa também que o número menor de procedimentos cirúrgicos se deve a mudanças nas normas de atendimento, em outubro, quando o ambulatório passou a atender prioritariamente moradores de seu entorno.

Porém, as cirurgias marcadas em casos considerados menos graves foram canceladas e muitas delas ainda não foram reagendadas. Com o fogo, a fuligem atingiu os nove centros cirúrgicos do hospital. O setor de obstetrícia até hoje não voltou a funcionar. A superintendência espera concluir os trabalhos elétricos no prédio até o fim do mês que vem.

Pronto-Socorro

O pronto-socorro foi outro setor onde também houve queda acentuada no atendimento.

Em janeiro deste ano, formam feitos 10.362 atendimentos, contra 18.579 no ano passado e 18.204 em 2006. Em relação a 2007, a queda foi de 55,77%. Em relação ao ano anterior, o número foi 56,92% menor.

Os usuários do hospital também se queixam que os resultados dos exames também têm demorado mais do que o normal.

O número de consultas também caiu: em janeiro de 2008, elas totalizaram 62.805, contra 69.374 em 2007 e 66.873 em 2006, quedas respectivas de 9,47% e 6,08%. A justificativa para os números menores se deve também às mudanças nos procedimentos, segundo a direção do hospital.