Aumento de salas de cinema poderá resgatar cultura do cinema de bairro

Agência Brasil

BRASÍLIA - O aumento das salas de cinema poderá trazer de volta a cultura do cinema de bairro, afirmou o sociólogo, professor e crítico de cinema, Sergio Moriconi. Ele acredita que os novos incentivos para que empresários construam salas de cinema e teatro em cidades com menos de 100 mil habitantes poderá dar maior vazão a filmes não exibidos por falta de salas.

- Com várias salas, o empresário sabe que ele tem que ter o grande lançamento. Mas, ao mesmo tempo, se há várias salas, ele sabe que é necessário filmes para suprir sua programação anual. E esse empresário quer concorrer com outro que abriu um cinema na outra esquina. Com isso, um empresário pega um filme, o concorrente outro, que seriam filmes que estariam fora do circuito de shoppings, que interessa para um determinado público - explicou Moriconi.

Ele também afirma que, com o potencial aumento do número de salas, poderá se resgatar uma cultura de ter um cinema dentro do bairro, sem ter que se render às salas de cinema dos shoppings.

- Se aumentar muito o número de salas, essas salas vão ter que se desvincular um pouco dos shoppings. Não tem shopping para tantas salas, os empresários vão ter que procurar novamente investir nos bairros e isso cria novamente uma cultura de cinema que descola dessa cultura do shopping - afirmou.

Para o presidente do Instituto Latino-America e coordenador da Mostra Brasil Candango Cinema Itinerante, Atanagildo Brandolt, o incentivo fará com que as próprias comunidades se organizem para montar suas salas de cinema.

- Se vai haver esse financiamento, terá que ser feita uma campanha de propagação para que as pessoas se interessem, porque isso tem que ser gerido pela própria comunidade para que não vire um lobby. Para que isso não seja abandonado com o tempo - sugeriu.