PT vai atacar transporte na campanha em SP

REUTERS

SÃO PAULO - O PT já teria definido as áreas que vai priorizar na campanha à Prefeitura de São Paulo: transporte, saúde e programas sociais. Ontem, Marta Suplicy acertou com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sua saída do Ministério do Turismo para disputar a eleição.

A legenda vê "retrocesso" nos três setores definidos como foco dos ataques contra a administração do prefeito Gilberto Kassab (DEM), segundo o presidente do PT no município, José Américo.

Os sucessivos recordes de índices de congestionamento na cidade servirão para dar maior relevância ao tema transporte.

- Marta fez 110 km de corredores de ônibus e hoje só se vê degradação do sistema - afirmou José Américo.

O partido tem pressa e inicia a agenda para a eleição de outubro. Na segunda-feira, define os termos da "tática eleitoral" e no dia 29 de março formará os grupos temáticos que vão confeccionar o programa de governo do partido na capital.

A conversa com Lula que definiu a saída de Marta do Ministério aconteceu na quinta-feira pela manhã. Muito pressionada pelo partido a disputar a eleição, a ex-prefeita, que administrou a capital de 2000 a 2004, ainda pode permanecer à frente do Ministério até o dia 5 junho, quatro meses antes da data da eleição, conforme prevê a legislação.

Mas o PT quer que ela deixe a Pasta no máximo em maio. O partido acredita que o rompimento da aliança PSDB-DEM a favorece. Tudo indica que Marta irá concorrer com as candidaturas à reeleição de Kassab e do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Em pesquisa de opinião divulgada em fevereiro, Alckmin e Marta aparecem na frente na preferência do eleitor, com o ex-governador na liderança. Em 2004, a petista disputou a reeleição e perdeu para José Serra (PSDB), que deixou a prefeitura para o vice Kassab ao disputar e vencer a eleição para o governo paulista.