Lula e Sarkozy debaterão situação de reféns das Farc

Agência EFE

BRASÍLIA - A situação dos reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) está na pauta de temas que serão abordados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o chefe de Estados francês, Nicolas Sarkozy, no encontro que manterão na terça-feira na Guiana Francesa, informaram hoje fontes oficiais. Lula também falará sobre as negociações da Organização Mundial do Comércio (OMS) e discutirá formas de facilitá-las, assim como oportunidades de cooperação bilateral nas áreas ambiental, militar, nuclear e de infra-estrutura, afirmou o porta-voz da Presidência brasileira, Marcelo Baumbach.

Na entrevista coletiva concedida hoje no Palácio do Planalto para divulgar detalhes da viagem de trabalho de Lula à Guiana Francesa, o porta-voz disse que a questão dos reféns das Farc é de interesse do Brasil e da França. Recentemente, o assessor de Lula para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, disse que o Brasil está negociando a criação de um grupo de países, do qual faria parte a França, que possa fazer a mediação na libertação de outros seqüestrados nas mãos da guerrilha.

A França, por sua vez, está particularmente interessada na libertação da ex-candidata presidencial franco-colombiana Ingrid Betancourt, seqüestrada em fevereiro de 2002.

- O Brasil está interessado em auxiliar, em oferecer seus serviços, para ajudar a resolver esse assunto, mas tendo como pauta a observação estreita dos princípios de não-intervenção nos assuntos internos da Colômbia - afirmou Baumbach.

- Nesse sentido, o Brasil considera que é crucial a participação dos presidentes (da Venezuela, Hugo) Chávez e (da Colômbia, Álvaro) Uribe no processo - acrescentou.

Segundo o porta-voz presidencial, o país só considera possível que ocorram avanços mediante uma conversa entre os presidentes Chávez e Uribe.

- Eu não diria que (na reunião) se chegará a algum avanço concreto no sentido de criar esse grupo (de países mediadores), mas o tema com certeza será discutido - disse.

Ele destacou que o encontro de Lula e Sarkozy na manhã de terça-feira será em São Jorge do Oiapoque, uma cidade da Guiana Francesa na fronteira com o Brasil e à qual o presidente brasileiro chegará em um barco. Durante a visita de poucas horas à Guiana Francesa, Lula terá uma reunião particular com Sarkozy seguida de um encontro ampliado com alguns ministros, assim como um almoço e um ato para apresentar a maquete da futura ponte que ligará Brasil e Guiana Francesa e cuja construção já foi aprovada por ambos os países.

A ponte sobre o rio Oiapoque, que terá uma extensão de 400 metros e um custo de R$ 38,6 milhões, é considerada como uma prioridade na política de integração sul-americana promovida pelo Brasil.

- No encontro também serão discutidos assuntos de importância para a relação bilateral, com ênfase na cooperação fronteiriça e no potencial de cooperação na área de defesa, no setor de biocombustíveis e no campo nuclear civil - ressaltou o porta-voz.

No mês passado, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, conversou com autoridades francesas sobre uma possível troca de tecnologias que permitiria ao Brasil concluir seu antigo projeto para construir um submarino com propulsão nuclear. O porta-voz acrescentou que Lula aproveitará o encontro para reiterar seu pedido para que se avance nas negociações da Rodada de Doha da OMC, principalmente na área agrícola.

- Lula reafirmou sempre que uma reunião de líderes de diferentes países neste momento teria condições de dar um estímulo adicional ao processo. Se o assunto for abordado, o presidente com certeza convidará Sarkozy a essa reunião - disse. - O presidente Lula acredita que todos os líderes políticos dos principais países atores no processo têm que se reunir para que seja possível avançar além das negociações técnicas.