Cartão corporativo: Virgílio defende que CPI também investigue FH

Portal Terra

BRASÍLIA - O líder do PSDB no Senado, Artur Virgílio (AM), defendeu nesta quinta-feira a abertura de uma CPI mista para investigar o uso dos cartões corporativos pelo governo. O senador disse ainda que não se opõe à abertura de uma CPI que investigue também o uso dos cartões no governo de Fernando Henrique Cardoso, como propôs o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-PE).

- O PSDB aceita, mas tem que começar a investigação no escândalo absurdo no governo do presidente Lula. De repente esquece-se o que está vindo agora e passa a se investigar algo que nem foi denunciado no governo anterior. Por isso temos que apurar o que há agora e, em uma segunda etapa vir a ampliar a investigação - disse.

Para ele, o uso do cartão está sendo corrompido pelo governo atual e definiu o caso como uma nova crise, semelhante ao mensalão. - O governo está vivendo uma crise brutal, uma coisa semelhante ao mensalão. Precisamos acabar com essa crise-gambá, em que se tenta espalhar mau cheiro por tudo - afirmou.

Virgílio disse que os membros do governo transformaram os cartões em "instrumentos de segundo salário", em vez de instrumento para agilidade, que seria sua proposta inicial.

- Estou falando em se usar os cartões corporativos para buscar dinheiro na boca do caixa, em notas vivas, para possivelmente gerar notas falsas dos gastos - afirmou.

O senador defendeu ainda que todos os gastos do governo sejam divulgados publicamente, inclusive do presidente da República. - Queremos abrir todos os gastos, doa a quem doer, haja o que houver - afirmou.