Bispos da Renascer são processados por evasão de divisas

Portal Terra

SÃO PAULO - O juiz federal substituto Márcio Rached Millani, da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo, especializada em lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro, recebeu denúncia do Ministério Público Federal e abriu processo contra os pastores evangélicos Estevam Hernandes Filho e Sonia Haddad Moraes Hernandes, líderes da Igreja Renascer, pelo crime de evasão de divisas.

Os bispos da Renascer foram presos no aeroporto de Miami, nos Estados Unidos, em janeiro de 2007. O casal entrou nos EUA alegando que não portava moeda americana, mas depois admitiu que possuía mais de US$ 10 mil e teve a bagagem revistada.

Foram encontrados US$ 56,4 mil (cerca de R$ 112 mil) com o casal e um de seus filhos. Parte do montante estava na capa de uma bíblia e em um porta-CDs. Eles foram condenados naquele país pelo crime de contrabando de dinheiro e atualmente cumprem pena de reclusão.

No Brasil, tanto na saída, quanto na entrada em território nacional, é obrigatório declarar à Receita Federal o porte de moeda estrangeira em valor superior a R$ 10 mil. Segundo informações obtidas pela Receita Federal, nem Estevam, nem Sonia, declararam no aeroporto de Cumbica, quando embarcaram, que portavam quantia superior a esse limite. O sistema da Receita também foi checado e nenhuma declaração foi encontrada.

Uma vez concluído o inquérito policial, o Ministério Público Federal ofereceu denúncia contra Estevam e Sonia pelos crimes de evasão de divisas e falsidade ideológica (no caso, refere-se a omissão de informações à Receita).

A denúncia foi oferecida no final de novembro e foi apreciada e recebida este mês. No momento, Sonia Hernandes cumpre pena de reclusão de 140 dias. No mesmo período, Estevam cumpre prisão domiciliar. Após o cumprimento da pena, o casal entra em condicional, que durará dois anos.

Os advogados do casal Hernandes afirmam que vão se reunir nesta quarta-feira para discutir o caso e possíveis providências.