Perícia confirma autenticidade das pinturas devolvidas ao Masp

JB Online

SÃO PAULO - As telas que retornaram nesta quarta-feira ao Museu de Arte de São Paulo (Masp) são mesmo as pinturas 'O Lavrador de Café', de Candido Portinari, e 'Retrato de Suzanne Bloch', do espanhol Pablo Picasso, furtadas do local em 20 de dezembro. A confirmação saiu após perícia técnica.

- Os dois quadros já foram periciados tanto por técnicos do Masp quanto da Polícia Civil paulista - afirmou o delegado Gaetano Vergine, do Departamento de Investigações Sobre o Crime Organizado (Deic). O presidente do museu, Júlio Neves, também, confirmou essa informação durante coletiva à imprensa.

- Nossa equipe técnica fez todas as perícias necessárias. São as nossas obras, com certeza - disse Neves.

Segundo o presidente do Masp, as duas pinturas serão expostas no dia 11, no segundo andar do museu. - São obras insubstituíveis. Cada obra de arte é um original e, com certeza, invendável - destacou. Ele disse que o museu receberá neste mês duas exposições internacionais e que estão previstas mais 20 ao longo do ano.

Durante a cerimônia de devolução das obras furtadas, Neves agradeceu à polícia e à imprensa pela recuperação dos quadros, mas negou-se a responder se houve pedido de resgate pelas obras ou quanto custará o novo aparato de segurança do Masp, "por questões de segurança".

- Não vamos dar nenhuma resposta sobre aquilo que fizemos juntos. Isso prossegue em um trabalho de sigilo - justificou.

Neves limitou-se a dizer que os novos equipamentos de segurança doados ao museu são de "última geração e tão bons ou melhores em segurança que tudo o que existe no mundo". Segundo ele, alguns equipamentos ainda não chegaram porque parte deles está sendo importada. Ele também informou que novas empresas foram contratadas para fazer a segurança do museu.

As telas roubadas da sede do Masp foram encontradas ontem em uma residência em Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo, e duas pessoas foram presas. O valor das pinturas é estimado em cerca de R$ 100 milhões.

Com informações da Agência Brasil