Febre amarela pode ter matado um no PR

JB Online

MARINGÁ - O empresário Almir Rodrigues da Cunha morreu nesta terça-feira à noite no Hospital Santa Rita, em Maringá (PR), com suspeita de febre amarela. As amostras de sangue serão examinadas no Laboratório Central do Estado, em Curitiba. A previsão é de que os exames fiquem prontos em 20 dias.

Mesmo que o Paraná não seja considerado pelo Ministério da Saúde como região de risco de febre amarela, a doença está alarmando a população. - Existe apenas uma suspeita de uma morte ocorrida em Maringá. Esse rapaz passou o período de 20 de dezembro a 1 de janeiro em uma região endêmica de risco - região de Caldas Novas, em Goiás. O sangue foi coletado, e o material passará por análise laboratorial para determinar ou não presença da doença -disse o Secretario Municipal de Saúde de Maringá, Antonio Nardi.

A região de Maringá fechou o ano de 2007 com o registro de 5.644 casos de dengue, e duas mortes pela doença. O mosquito transmissor é o Aedes Aegipty, mosquito vetor responsável também pela transmissão da febre amarela. Segundo Nardi, essa não é uma preocupação. - Essa não é nosso preocupação. No momento estamos preocupados com as pessoas que vão viajar e com as que chegam à cidade - afirmou.

A população foi convocada para tomar a vacina. - Se estiver com a vacina vencida ou por vencer, tome a vacina como medida preventiva - disse Nardi.

A população de Maringá já faz filas no posto de atendimento para tomar a vacina. A enfermeira coordenadora da principal sala de vacinação da Secretaria de Saúde do município, Edilene Loureiro Aceti, explicou que, apesar de a vacinação fazer parte da cartela de vacinas das crianças, sendo a primeira dose após os nove meses de idade, é preciso tomar o reforço de 10 em 10 anos.

Com informações do Portal Terra