Haddad receita modelo de gestão do DF para estados e municípios

Agência Brasil

BRASÍLIA - O ministro da Educação, Fernando Haddad, informou nesta terça-feira que pretende estimular os secretários de Educação estaduais e municipais a implantarem o modelo de gestão participativa adotado no Distrito Federal pelo governador José Roberto Arruda. Este sistema prevê escolha dos diretores das escolas por meio de provas escritas e do currículo apresentado pelos candidatos.

Haddad participou da cerimônia de posse dos novos diretores e vice-diretores das 620 escolas públicas do Distrito Federal, que assinaram compromisso de reduzir em 20%, no prazo de dois anos, o número de alunos defasados em idade-série; aumentar em 20% o índice de aprovação neste ano; e reduzir a evasão escolar também em 20%.

As escolas também se comprometeram a prestar atendimento a alunos com necessidades especiais, que terão acesso e permanência preferencial em classes comuns. Os novos diretores terão total autonomia na gestão dos recursos destinados às respectivas escolas, que serão fiscalizados pelos conselhos escolares. E, no modelo instituído por Arruda, os diretores poderão indicar servidores para ocupar funções gratificadas.

O secretário de Educação do DF, José Luiz Valente, destacou que o objetivo das mudanças é "elevar a qualidade da gestão nas escolas e chegar a 2010 com desempenho no alto do ranking dos indicadores nacionais sobre resultados".

Segundo o ministro Fernando Haddad, "todas as diretrizes do Plano Nacional de Desenvolvimento da Educação [PNDE], lançado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em abril do ano passado, vem sendo seguido à risca pelos prefeitos e governadores". Ele destacou que a educação "também tem que ser qualitativa" e que os alunos matriculados "devem não apenas freqüentar, mas também aprender efetivamente". E lembrou que o Programa Bolsa Escola, aplicado no Distrito Federal, "transformou-se em um programa universal de transferência de renda que permite às crianças freqüentar as escolas com mais dignidade".

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF), presente à solenidade, sugeriu ao governador Arruda a implantação de uma escola para gestores em educação que em quatro anos estariam aptos a assumir a direção das escolas, sem necessidade de passar por provas. Seria, segundo ele, um aperfeiçoamento da sistemática usada em 1995, quando governou o Distrito Federal e os diretores eram eleitos pela comunidade. - É importante oferecer escola com a mesma eficiência que se precisa também oferecer saúde à população - concluiu.