Secretário: presidente do Masp não mostrou contas

Portal Terra

SÃO PAULO - O secretário-adjunto de Cultura do Estado de São Paulo, Ronaldo Bianchi, afirmou no início da noite desta sexta-feira que o presidente do Museu de Arte de São Paulo (Masp), Júlio Neves, não apresentou nenhuma documentação ou informação sobre a situação financeira do museu durante a reunião com o Ministério Público Estadual (MPE), no centro de São Paulo. Perguntado se Neves estaria ganhando tempo, o secretário disse que "ele é o tempo".

O museu foi invadido na madrugada de 20 de dezembro por quatro ladrões. O furto levou 3 minutos, das 5h09 às 5h12, e foram furtadas as obras 'O Lavrador de Café', de Portinari, e 'O Retrato de Suzanne Bloch', de Picasso.

Em nota divulgada na quinta-feira, o Masp informou que nunca descuidou da segurança, sendo que apresentou, no final de 2005, um projeto de incentivos fiscais (Lei Rouanet) destinado à captação de recursos para a manutenção anual de suas atividades. Ainda de acordo com o MPE, entre os assuntos tratados está a possibilidade de o governo do Estado auxiliar a instituição.