Fiscalização da Anac não melhora situação nos aeroportos

Agência Brasil

BRASÍLIA - A operação montada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) nos principais aeroportos do país não alcançou o objetivo de prevenir ou minimizar transtornos provocados pelas comemorações de fim de ano. É o que afirmam passageiros que lotaram a sede da Anac hoje (22) no Aeroporto Internacional de Brasília.

O aeroporto registrou movimento maior no início da manhã, mas, antes do meio-dia, a quantidade de embarques e desembarques já havia sido reduzida. Ainda assim, a sala da Anac de atendimento a passageiros com problemas permaneceu cheia durante grande parte do dia.

Um dos que procuraram ajuda foi Bruno Magalhães Costa, passageiro do vôo TAM 3566, com destino a Salvador, que queria resolver o problema de overbooking da empresa (venda de bilhetes acima da capacidade de assentos da aeronave). O vôo de Bruno estava marcado para as 10 horas de hoje, mas, com a realocação, ele só deve embarcar depois das 22 horas.

Na opinião de Bruno Costa, as medidas implementadas pela Anac ainda precisam ser revistas. Tereza Fontenelle, que deveria ter viajado para São Luís no vôo 3182 da TAM, concorda com Bruno. Ela saiu de Belo Horizonte já com o vôo atrasado e, quando chegou a Brasília, perdeu a conexão para Luís. Realocada pela companhia junto com mais quatro pessoas com as quais viaja, Tereza só deixará Brasília capital às 23h59 de hoje. Ficar mais de 12 horas aguardando [vôo] é falta de respeito e reflexo da superlotação e do excesso de vendas das empresas .

Tereza destacou a importância, para os que sofrem danos materiais ou morais, de não se acomodar. Ela contou que enfrentou problema parecido há dois anos, procurou o Juizado Especial e conseguiu o ressarcimento.

A coordenadora do Juizado Especial do Aeroporto Internacional de Brasília, Daniella Torres, informou que os principais problemas registrados pelos passageiros são: atrasos, casos de overbooking e cancelamento de vôos, além de longas filas de espera para check-in e extravio de bagagem. Vira aquele efeito cascata, de um aeroporto para outro .

Daniella Torres disse que, até ontem (21), houve aumento de 30% no número de reclamações no Juizado Especial. Segundo ela, a solução para evitar grandes transtornos é chegar com bastante antecedência para realizar o check-in.

O reforço da Anac em aumentar a fiscalização nos principais aeroportos do país começou ontem. De acordo com a assessoria da Anac, os fiscais monitoram principalmente o atendimento aos passageiros nas áreas de check-in e na sala de embarque, além de verificar atrasos e cancelamentos de vôos.

Além do aumento da fiscalização, a Anac anunciou, para o mesmo período, a criação de medidas para aumentar a segurança e evitar transtornos aos usuários do transporte aéreo. Entre elas, a assessoria destacou a criação de uma nova malha área para a alta temporada, que vai vigorar até o dia 15 de março.

A Anac e a TAM não se pronunciaram sobre o caso.