Plano aéreo não deve provocar aumento nas passagens, diz Jobim

Agência Brasil

RIO - O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse neste sábado que não acredita que o plano para o setor aéreo anunciado no último dia 4 deve provocar aumento no preço das passagens neste final de ano.

O plano prevê o ressarcimento em dinheiro aos passageiros que tenham sido lesados em caso de atrasos em vôos provocados pelas próprias empresas aéreas.

Nelson Jobim disse que não há a razão para as empresas aéreas aumentarem o preço das passagens, já que o governo não promoveu nenhum aumento de cobrança, em dinheiro, para as companhias.

- Não aumentamos absolutamente nada, só a responsabilidade. Obviamente aquelas empresas que forem eficientes, não têm necessidade de aumentar a passagem. Aumentarão aquelas que forem ineficientes. E a ineficiência não é premiada no mercado - afirmou.

Na cerimônia de formatura de oficiais da Marinha hoje no Rio de Janeiro, Jobim disse ainda que o Natal deste ano será mais calmo do que o de 2006 para os passageiros que utilizarem o transporte aéreo no país.

Ele lembrou que a situação dos aeroportos brasileiros começou a se normalizar em março deste ano e que toda a infra-estrutura aérea está preparada para o grande fluxo do final de ano.

Jobim informou que está colocando em operação mais aparelhos de raio-X nos principais aeroportos brasileiros, a fim de agilizar o processo de embarque e evitar filas.