'Não prorrogar a CPMF pode ser aventura perigosa', diz José Alencar

Agência Brasil

RIO - O vice-presidente da República, José Alencar, alertou neste sábado que se a prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) não for aprovada pelo Senado, poderá representar uma "aventura perigosa" para o país. Segundo ele, "a CPMF é um imposto abominável", mas que o Brasil não pode prescindir desse tributo.

- Pelo menos agora, que não aconteceu ainda a reforma tributária, que vai depender de decisão do Congresso Nacional, é preciso que o Senado aprove a prorrogação da CPMF. Por uma razão muito simples, o Brasil não pode brincar com a questão de equilíbrio orçamentário e um rombo de R$ 40 bilhões no orçamento pode representar uma aventura perigosa para o Brasil - afirmou Alencar.

Durante a cerimônia de formatura de oficiais da Marinha hoje, no Rio de Janeiro, Alencar disse que a não prorrogação da CPMF pode comprometer o equilíbrio fiscal e, conseqüentemente, o controle da inflação. Ele negou, entretanto, que o Brasil vá "parar", caso o imposto não seja prorrogado.

Na mesma cerimônia, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse esperar que a prorrogação da CPMF seja aprovada:

- o Senado Federal sabe perfeitamente da importância dessa contribuição social, para conseguirmos o desenvolvimento do nosso país. Tenho confiança de que os senadores haverão de responder a esse apelo nacional - afirmou.