Testemunha não confirma ato libidinoso de padre Jáulio Lancelotti

Portal Terra

SÃO PAULO - O delegado André Luiz Pimentel afirmou que uma das testemunhas que depôs nesta segunda-feira na 5ª Seccional da Polícia Civil de São Paulo sobre o caso do padre Júlio Lancelotti não confirmou que soubesse de qualquer ato libidinoso por parte do religioso. Uma ex-funcionária da Fundação Casa (ex-Febem) afirmou em depoimento na semana passada que teria visto o padre abusando de um ex-interno da Fundação.

A testemunha, cuja identidade não foi revelada, era interna da Fundação Casa e foi citada pela ex-funcionária da entidade Casa Vida que fez a denúncia contra o padre Lancelotti. De acordo com o delegado, apesar de ter sido intimada a depor, ela não estaria presente durante o suposto abuso sexual por parte do padre.

Foi ouvido também um vizinho do ex-interno da Febem (atual Fundação Casa) Anderson Marcos Batista, a quem o padre acusa de tentativa de extorsão. A testemunha foi apontada pelo suspeito. O delegado não informou o teor do depoimento.

De acordo com o delegado, as investigações correriam em sigilo por pedido da polícia e da cúria. Mas, segundo o Padre Juarez Castro, secretário de comunicação da Arquidiocese de São Paulo, a cúria não fez nenhum pedido. - Estive com dom Odilo (Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo) e não houve nada nesse sentido. Nossa última manifestação foi a nota divulgada no sábado.