Recurso de Salvatore Cacciola é julgado improcedente

Agência JB

RIO - Foi julgado improcedente pelo subprocurador-geral da República, Samir Haddad, o recurso especial impetrado por Salvatore Cacciola, que questionava o acórdão da Justiça que manteve a sentença que o condenou a 4 anos e 6 meses de prisão e pagamento de multa.

No documento, Cacciola sustenta que a 2ª Turma Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região não apreciou devidamente os embargos, que houve inversão ilegal do ônus da prova e que não foi aplicada a atenuante da confissão.

- O recurso não deve nem mesmo ser admitido em relação à intenção de reavaliar as provas dos autos. Também não foi provada a existência de nenhuma das violações alegadas explicou Haddad.

Salvatore Cacciola foi condenado por emprestar, em 1991, Cr$ 16 milhões de cruzeiros (valor da época) do Banco Marka ao amigo João Simões Affonso. O empréstimo foi pago ao próprio Cacciola e a parentes dele, como a mulher, o pai e filhos. O parecer vai ser analisado pelo ministro Gilson Dipp, relator do caso no STJ.