Calheiros: criaram clima de terror, diz Almeida Lima

Agência JB

RIO - O senador Almeida Lima (PMDB-SE) afirmou nesta terça-feira, em um debate na rádio CBN, que as novas denúncias sobre espionagem a mando do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), são uma tentativa de criar um clima de "terror" na Casa. "Estão criando um clima de terror, de tensão, de que o Senado deixou de ser o céu para ser o inferno", disse.

» Democratas apóia nova representação

» Maioria do PT apóia saída de Calheiros

» PSDB confirma 5ª representação

» Opine sobre o caso

Almeida Lima será o relator da quarta representação contra Calheiros no Conselho de Ética. A denúncia investiga se o presidente do Senado participou de um suposto esquema de desvio de dinheiro em ministérios comandados pelo partido de ambos. No fim de semana, a revista Veja publicou reportagem afirmando que o assessor de Calheiros, Francisco Escórcio, estaria espionando os senadores da oposição Demóstenes Torres (Democratas-GO) e Marconi Perillo (PSDB-GO) para chantageá-los depois.

Para Lima, as afirmações de Escórcio não passaram de uma "notícia plantada". Tanto Calheiros quanto Escórcio divulgaram nota, na segunda-feira, repudiando as denúncias. "Quem está criando isso são golpistas, alguém que quer a presidência ocupada pelo senador Renan Calheiros", disse Almeida Lima.

O senador Jefferson Peres (PDT-AM), que também participou do debate, afirmou que não há "conspiração nenhuma" contra Calheiros. Ele disse, no entanto, foi um erro o presidente do Senado não ter se afastado do cargo logo que surgiram as primeiras denúncias.

- Criou-se um clima irrespirável no Senado. O senador que ocupa esse cargo (presidência da Casa) tem que ser um líder, mas Calheiros perdeu isso - afirmou.

Com informações do Portal Terra.