Governo não pode abrir mão do equilíbrio fiscal, diz Alencar

Agência JB

CURITIBA - O vice-presidente da República, José Alencar, disse na noite desta segunda que é a favor da prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), em função da responsabilidade fiscal. - Precisamos da compreensão dos brasileiros. Não temos como deixar de aprovar a CPMF.

Segundo o vice-presidente, o governo "não pode abrir mão do equilíbrio fiscal, se não colocaria muito a perder.

Aos empresários presentes à solenidade de posse da nova diretoria da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Alencar explicou que a CPMF será aprovada mas que, em contrapartida, o governo federal já preparou uma proposta de reforma tributária que está sendo aperfeiçoada e será depois levada ao Congresso Nacional. "Esta proposta é de acabar com todos os impostos CPMF, IPI, ICMS, PIS, Cofins , que serão substituídos pelo imposto sobre valor agregado , anunciou.

Alencar sugeriu ainda a criação de uma Constituinte exclusivamente para tratar das reformas, principalmente a política, e recebeu o apoio do presidente empossado da Fiep, Rodrigo da Rocha Loures. Ele foi eleito para o quadriênio 2007-2011 e lidera 50 empresários na nova diretoria.