Arthur Virgílio diz que vai tomar decisões duras sobre espionagem

Elaine Lina, Portal Terra

BRASÍLIA - O senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) criticou, neste domingo, o ex-senador Francisco Escórcio, acusado de espionar o senador tucano Marconi Perillo (GO) e o senador Demóstenes Torres (Democratas-GO) a pedido de Renan Calheiros (PMDB-AL). Virgílio afirmou que Escórcio "vai ter que parar de freqüentar o Senado".

- Estamos no fundo do poço, vamos tomar decisões duras - disse.

Virgílio classificou as denúncias de espionagem como "graves" e terá uma representação assinada pelo PSDB. O tucano afirmou que Escórcio é "um suplente de senador inventado por José Sarney, que trabalha a mando de Renan".

Para Virgílio, os últimos acontecimentos, como o afastamento dos peemedebistas Jarbas Vasconcelos e Pedro Simon do Conselho de Ética e as denúncias de espionagem, favorecem a permanência de Calheiros no Senado.

- A faculdade do líder do PMDB não é o que está em jogo, mas sim as manobras políticas para manter Renan na presidência - disse.

O líder tucano fez questão de lembrar também que Escórcio apenas foi senador por quatro meses, na condição de suplente.